Campos e Campinas

Aparecem na região em manchas de vegetação de tamanho variável, porte e biomassa reduzidos. Para os diversos tipos de vegetação não florestal da Amazônia é usado o termo genérico de 'campo', exceto para as campinas de "areia branca", semelhantes às restingas localizadas principalmente na região do Rio Negro (AM). Essas formações têm fisionomia, estrutura e florística bem caracterizadas, com alto grau de endemismo e ocorrência de algumas espécies da mata, mas com enor porte.

Os campos ou savanas amazônicas podem ser de terra firme ou de várzea. Os primeiros distribuem-se principalmente no Amapá, Cachimbo, Cururu, Madeira, Roraima, Trombetas, Paru, Marajó e Carajás. Os campos de várzea aparecem no Baixo Amazonas, rio Araguari, boca do rio Oiapoque, Ilhas Caviana e Mexiana. Em geral, os campos são dominados por gramíneas e ciperáceas, mas existem espécies características de cada um dos tipos de campo amazônico, inclusive com vários endemismos, como os que ocorrem em Carajás, os campos melhor estudados de toda a região. Pela característica da vegetação, são os ecossistemas mais sujeitos ao fogo.

Copyright © 2006 PRODEPA